Notícias

 

Lucro do BB já chega a R$ 8,3 bi este ano

Montante, referente aos noves primeiros meses do ano, é 5% superior ao do mesmo período de 2013. Balanço mostra ainda que banco fechou 749 postos de trabalho em doze meses e Sindicato cobra contratações

São Paulo – O Banco do Brasil  teve lucro líquido ajustado de R$ 8,3 bilhões entre janeiro e setembro deste ano, crescimento de 5% em relação aos nove primeiros meses do ano passado, quando a instituição financeira alcançou R$ 7,9 bi, o que corresponde a uma rentabilidade de 15,2% ao ano.

Apenas no terceiro trimestre de 2014 o lucro atingiu R$ 2,9 bilhões, alta de 10,5% na comparação com o mesmo período de 2013. O patrimônio líquido do BB somou R$ 81,246 bilhões em setembro de 2014, expansão de 23,2% em relação a setembro de 2013.

O balanço divulgado na quarta-feira 5 mostra, ainda, que de setembro de 2013 a setembro de 2014 o banco fechou 749 postos de trabalho, apesar de ter criado 357 vagas no terceiro trimestre. O BB também ampliou o número de agências, com a abertura de 77 novas unidades no terceiro trimestre.

“Os números mostram que o resultado financeiro é muito bom, mas denunciam também a falta de funcionários. São prova de que nossa reivindicação por mais contratações é legítima e urgente. Os bancários estão sobrecarregados e reclamam muito das metas cada vez maiores e das más condições de trabalho. Por isso queremos a abertura de mais vagas na instituição e também discutir com a direção uma cláusula para coibir a cobrança abusiva de metas”, afirma o diretor executivo do Sindicato e funcionário do BB, Ernesto Izumi.

O dirigente lembra ainda que uma das conquistas do funcionalismo do banco público na Campanha 2014 foi o compromisso da instituição de contratar pelo menos mais 2 mil bancários, sendo que mil até dezembro deste ano e os demais ao longo de 2015. “E o banco tem todas as condições de cumprir isso.”

Ernesto destaca que apenas com as receitas advindas de prestação de serviços e tarifas – que cresceu 6,7% na comparação com os nove primeiros meses de 2013, atingindo R$ 18,272 bi – o BB cobre em 117,8% suas despesas de pessoal, que de janeiro a setembro somaram R$ 15,512 bi. Essa relação era de 112,2% no mesmo período do ano passado.

Crédito – O balanço mostra ainda que a carteira de crédito ampliada do BB cresceu 12,3% em doze meses, atingindo R$ 732,7 bilhões em setembro de 2014. A carteira pessoa física encerrou o nono mês do ano em R$ 175,1 bi, aumento de 6,9% sobre setembro de 2013, respondendo por 23,9% do total da carteira. Nesse segmento destacam-se as operações de financiamento imobiliário (63,2%). Já a carteira de pessoa jurídica alcançou R$ 342 bilhões, crescimento de 12,8% sobre setembro de 2013, e responde por 46,7% da carteira total.

O BB continua líder absoluto no crédito ao agronegócio, com 63,2% de participação de mercado. Essa carteira, incluindo operações de crédito rural e agroindustrial, cresceu 21,8% em doze meses, alcançando R$ 158,4 bilhões em setembro de 2014. Somente esse segmento representou 21,6% da carteira total do banco no período, e seu índice de inadimplência superior a 90 dias permaneceu em nível baixo: 0,59% em setembro deste ano, ante 0,68% no mesmo período do ano passado.

O índice de inadimplência superior a 90 dias do banco foi de 2,09% da carteira, 0,12 ponto percentual acima do registrado no terceiro trimestre de 2013, mas abaixo da média do Sistema Financeiro Nacional que é de 3%.


Andréa Ponte Souza – 5/11/2014

 
 
Copyright © 2011 - Sindicato dos Bancários. Todos os direitos reservados.